terça-feira, 27 de junho de 2017

Crítica - Meu Malvado Favorito 3

Análise Meu Malvado Favorito 3


Review Meu Malvado Favorito 3Depois da decepção do filme solo dos Minions (2015), não estava esperando muito desse Meu Malvado Favorito 3, já que prevalecia uma impressão de que não havia nada mais o que fazer ou dizer com esses personagens. Em parte eu tinha certa razão e o filme atira em múltiplas direções ao mesmo tempo para tentar encontrar algo que funcione, mas de qualquer maneira ainda consegue encantar e divertir em muitos momentos.

O filme começa com Gru (Steve Carell/Leandro Hassum) e Lucy (Kriten Wiig/Maria Clara Gueiros) sendo demitidos de seus empregos depois de falharem em capturar o ex-astro infantil e atual supervilão Balthazar Bratt (Trey Parker, um dos criadores de South Park/Evandro Mesquita). Sem emprego, Gru começa a planejar uma maneira de capturar o vilão e retomar seu posto, mas tudo muda quando ele é contatado por seu irmão gêmeo perdido, Dru (também Carell/Hassum), que deseja se reconectar com ele.
                                                      
Só por essa sinopse acima já dá para perceber que tem tramas suficientes para sustentar dois filmes ensanduichadas em um filme só. Como se isso não fosse o bastante, ainda dá várias subtramas a personagens coadjuvantes sem que estas acrescentem nada à narrativa principal. Assim, acompanhamos Lucy tentando ser uma mãe melhor, Agnes tentando encontrar um unicórnio de verdade e os Minions procurando um novo vilão para servir. Tudo bem que Agnes é incrivelmente fofa e os Minions são uma das coisas mais divertidas do filme (mais do que no filme solo deles, inclusive), mas todas essas tramas poderiam ser descartadas sem prejudicar em nada a história principal e considerando que o filme tem apenas noventa minutos, o que sobra é muito pouco.

Prejudica ainda o fato de Dru ser um personagem sem carisma e cujas piadas não funcionam, como a terrível cena em que ele e Gru trocam de lugar para enganar Lucy, transformando cada momento em que ele está em cena em um teste de paciência. Por outro lado, o vilão Bratt é uma das melhores coisas do filme, com seu visual brega vestindo ombreiras enormes e um pecha por músicas pop oitentistas ele diverte sempre que está em cena e seus embates com Gru são simplesmente hilários.

Visualmente traz a mesma inventividade e apetrechos insólitos dos filmes anteriores, bem como o aspecto ultracolorido e cartunesco no design de seus personagens, ainda que não ofereça nada de realmente novo. O modo como o filme fala sobre a importância da família, apesar da doçura, também não tem nada a dizer que já não tenha sido dito nos dois filmes anteriores.

Meu Malvado Favorito 3 acaba sendo mais do mesmo em relação aos outros filmes, mas ainda consegue divertir graças ao carisma e fofura de seus personagens. O filme acaba deixando claro os sinais de cansaço da franquia, jogando a esmo com muitas ideias sem que muitas consigam render algo interessante. Seria melhor parar por aqui antes que se torne uma bagunça insuportável como tem acontecido com A Era do Gelo, outra franquia animada que já não tem mais para onde ir há tempos, mas continua a empurrar continuações.


Nota: 6/10

Trailer

Nenhum comentário: