quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Crítica - A Última Ressaca do Ano

Análise A Última Ressaca do Ano


Review A Última Ressaca do Ano
Sempre que chega o final de ano, sempre aparecem aqueles "filmes sazonais" querendo tirar vantagem do espírito natalino. Este A Última Ressaca do Ano, mesmo com sua roupagem de comédia anárquica, é exatamente isso: a bola da vez em uma indústria que já se acostumou a tentar arrancar alguns caraminguás do público natalino. Não chega a ser absolutamente terrível como algumas produções dos últimos anos (como o horrendo O Natal dos Coopers), mas segue aquele mesmo padrão de múltiplos personagens para agradar públicos diferentes, o que acarreta um desenvolvimento raso e um humor que em muitos casos repete preguiçosamente piadas manjadas.

A trama acompanha Clay (T.J Miller, o Weasel de Deadpool), um excêntrico diretor de uma filial de uma empresa de tecnologia. Ás vésperas do recesso de fim de ano ele recebe um ultimato de Carol (Jennifer Aniston), sua irmã e presidente da empresa: ou aumenta os lucros ou sua filial será fechada. Sua única chance é fechar um contrato com o executivo Walter Davis (Courtney B. Vance), mas para isso terão que convencê-lo de que não são uma empresa como qualquer outra. Para isso, Clay contará com a ajuda de seus funcionários Josh (Jason Bateman) e Tracey (Olivia Munn) para organizar uma grande festa natalina para a empresa, que obviamente sai do controle.

Como se divide em muitos personagens, o filme não possui tempo para desenvolvê-los e todos terminam soando como caricaturas unidimensionais cujos arcos são completamente previsíveis. Fica óbvio desde os primeiros minutos que eles aprenderão "valiosas lições de vida", que Clay irá aprender a ser menos irresponsável, Carol a ser menos rígida, Josh a se arriscar mais e por aí vai. Até os desenvolvimentos cômicos de alguns personagens são óbvios, como a certinha gerente de RH vivida por Kate McKinnon (que estava ótima no recente Caça-Fantasmas) que ao longo da festa revela um lado selvagem e descontrolado.

O filme consegue criar algumas gags divertida quando se move em direção ao puro nonsense como todo o segmento em que Walter fica sob efeito de cocaína ou a cafetina surtada interpretada por Jillian Bell (ainda que ela esteja repetindo muito do que fez em Anjos da Lei 2), mas não consegue fazer jus à toda anarquia que promete. Sem falar que muitas vezes recorre a um humor físico preguiçoso como alguns momentos em que alguém peida e, bem, essa é a piada ou na cena em que Josh chupa o pênis de estátua de gelo, porque, bem, porque sim. O final força a barra para fazer que tudo de certo para os personagens, criando uma série de coincidências que desemboca nas condições perfeitas para que a empresa de Clay consiga fazer uma tecnologia revolucionária funcionar e tudo parece fácil e artificial demais. Tem também algumas críticas ao universo corporativo, mas isso acaba esquecido pelo meio do caminho.

A Última Ressaca do Ano acaba sendo acometido pelo mesmo mal de todos os "filmes de feriado" se perdendo em uma série de personagens rasos, humor previsível e uma série de lugares-comuns. Ocasionalmente consegue gerar risos genuínos, mas não o bastante para valer a pena.

Nota: 5/10


Trailer:

Um comentário:

Soy Sofia Maror disse...

Está bem o pai, o elenco! O mais interessante de A Última Ressaca do Ano é a forma como o roteiro trata o universo profissional dos funcionários de um escritório. A dinâmica confeccionada entre personagens, mesmo que a maioria estereotipados, cria certo elo com o público, por todos conheceremos tais pessoas satirizadas no longa. Temos, por exemplo, o nerd que mente sobre a namorada gostosa, a conservadora recatada e rígida, a mãe solteira, etc… O êxito do filme se deve muito ao grande elenco que é bastante conhecido pelo seu grande trabalho. Protagonizado por Jennifer Aniston e Jason Bateman, A Última Ressaca do Ano não rende um porre para esquecer e sim uma bebedeira de modesta celebração. Ótimo entretenimento. O filme também é estrelado por Jillian Bell, Por certo eu recomendo ROUGH NIGHT é uma versão feminina da primorosa comédia de Todd Phillips: cinco amigas se reúnem durante um final de semana em uma casa de praia em Miami para a despedida de solteira de uma delas. As coisas saem do controle, contudo, quando elas matam acidentalmente um suposto um stripper. Super recomendo!